Gelados de ruibarbo e morango


Parece que é desta que o verão chegou ao centro do país, o calor aperta e a vontade de comer gelados é já diária, apesar de eu ser menina de os comer quase durante todo o ano.

Provei ruibarbo pela primeira vez o ano passado, pelas mãos da autora deste blog. Na altura ia de férias congelei, depois para o gastar levei imenso tempo porque já sabia que dificilmente ia ter a sorte de encontrar outro à venda. Sou daquelas pessoas que guarda o melhor da refeição para fim, ou quando tem algo novo, prova e logo a seguir fica com uns remorsos de já ter aberto a embalagem, esta sou eu!

Este ano, já não tinha o ruibarbo biológico oferecido pela Naida, mas plantei umas sementes por volta do mês de maio num micro vaso na minha varanda. Acreditam que deu, ainda dizem que a margem sul é o deserto. 

Saíram daqui uns belos talos, vejam no instagram. Congelei, porque ia estar fora na semana que os apanhei, ganhei coragem e lá saíram estes gelados, (ainda tenho mais uns talos congelados para matar saudades no inverno).



Vamos lá festejar a vinda do calor e o belo mês de agosto que está à porta.

Boas férias, para quem via, já foi ou ainda irá.

Ingredientes: (10 gelados)
100g de morangos (pesei congelados)
100g de ruibarbo (pesei congelado)
300 ml de água
3 colheres de sopa de xarope de beterraba (ou outro tipo de adoçante/açúcar a gosto)

Para esta receita necessita de uma forma para os gelados.

Normalmente, tenho sempre fruta no congelador para o ano todo, neste caso foi mesmo retirar a fruta do congelador e meter na bimby.

Coloquem na bimby/liquidificadora, o ruibarbo com os morangos e cliquem umas 7 vezes no botão turbo e depois passem tudo bem numa velocidade alta. Levem ao lume até os morangos e o ruibarbo ficarem em liquido e evaporem um pouco da água do congelador.


Retirem do lume e deixem arrefecer. Juntem a água e levem novamente à liquidificadora, passem bem até o liquido se envolver ao "doce rápido". Adicionem o xarope de beterraba, mel ou outro adoçante ao vosso gosto e coem o sumo para que não deixem passar nenhuma semente ou fio indesejado.

Deitem o sumo nas formas e levem pelo menos 4 horas ao congelador.


Fica um gelado super fresco, os meus sobrinhos aprovaram :)

Iogurte de baunilha com açúcar de coco


Iogurtes caseiros, comecei esta aventura já algum tempo. Acho que quando ganhei a Bimby, foi uma das primeiras coisas que fiquei logo com muita vontade de fazer. Não tinha iogurteira, como tal, a parte da fermentação era uma dor de cabeça. Li de fio a pavio os blogs da Patrícia e da Susana, mas andava  sempre stressada com a parte final. Nem manta polar, nem geleira, nada me dava a consistência desejada. Até que finalmente, percebi que tinha de me render à iogurteira e a partir daí, a minha vida mudou :)

Não vou dizer que faço iogurtes todas as semanas, porque é mentira. Mas fiquei viciada e como a combinação de sabores é quase infinita, acabo a maior parte dos dias de domingo a fazer experiências de sabores. Por defeito, não sou uma grande apreciadora de leite, simples então, fujo a sete pés. Os iogurtes são para mim um substituto ao leite, sei que não é a mesma coisa, mas espero que ajude pelo menos um bocadinho.

A receita que trago hoje é muito básica, mas como falei nela neste post decidi partilhar com todos vocês.

Fiz um topping rápido de amoras, mas caso não estejam para ter esse trabalho façam logo o iogurte de baunilha com as amoras que é mais rápido e fica muito bom também.


Fica um iogurte muito leve e o toque do açúcar de coco fica fantástico. 

Ingredientes: 7 iogurtes
800ml de leite meio gordo
40g de leite em pó
1 iogurte natural
1 colher de sopa de extracto de baunilha caseiro
3 colheres de sopa de açúcar de coco

Na bimby: Coloque no copo o leite, o leite em pó, o açúcar, a baunilha e o iogurte natural e misture na vel 3 durante 15 segundos. Programe 4min/50º/vel.3. 

Retire da bimby e coloque numa iogurteira durante pelo menos 13 horas. 

Coloque no frigorífico pelo menos 4 horas antes de consumir.


Modo tradicional: Num tacho, coloque o leite, o leite em pó, o açúcar e a baunilha. Leve a lume brando sem deixar ferver. Deixe arrefecer e quando estiver morno, junte o iogurte natural e misture com a vara de arames até ficar bem integrado.

Coloque numa iogurteira cerca de 13 horas e coloque no frigorífico pelo menos 4 horas antes de consumir.

Existe sempre a possibilidade de não precisar de uma iogurteira, eu ainda consegui fazer algumas vezes a fermentação correctamente. Colocava o iogurte em copos de vidro com tampa de metal, abafava bem os copos com uma manta polar, e colocava dentro de uma geleira/saco térmico de praia, cerca de 15 horas.


Topping de amoras:
80 amoras
1a 2 colheres de açúcar de coco

Coloque as amoras num tacho com o açúcar em lume brando, e mexa até formar uma espécie de compota rápida. Caso não goste de sentir os pedaços das amoras, coloque a compota numa 123 ou numa liquidificadora. Caso contrário, deixe assim com alguns pedaços grosseiros que fica muito bom.


Se não tiver com paciência para fazer topping e queira fazer logo iogurte de baunilha e amoras, faça na mesma a compota rápida, deixe arrefecer e coloque na bimby na mesma altura que o leite e os restantes ingredientes. Não vai fazer o efeito de mármore como da foto, mas ficará igualmente saboroso.

Salmão no forno com mel e manjericão roxo


O manjericão tem sido o rei nestas ultimas semanas cá em casa, as sementes que vieram do sul de frança no ano passado estão a dar muito bem e para além de ter feito algumas receitas, ainda fiz uma espécie de pesto bem leve para congelar (e matar saudades durante ano). 

Adoro este manjericão, é muito mais leve do que o verde, mas ao mesmo tempo acho-o um pouco mais (fumado). Adorei a combinação entre o manjericão e o mel, fica fantástico com salmão.


Aqui vai a receita e votos que o sol apareça de vez.

Ingredientes: 2 pessoas
1 posta de salmão (duas pessoas)
4 talos de manjericão roxo
1 colher de sopa de mel
1 colher de sopa de azeite
sal, pimenta e mostarda em grão

30 min no forno a 180º

Grão rápido de caril:
1 lata de grão
2 alhos
1 fio de azeite
1 colher de chá de caril caseiro
1 colher de sopa de água
sal (eu não usei)

Comece por colocar num almofariz, as folhas do manjericão e esmague até ficar uma pasta, de seguida adicione o mel, o azeite e incorpore à pasta de manjericão. Unte a pasta à posta de salmão e deixe a marinar por 30 minutos.


Pré-aqueça o forno a 180º.

Num tabuleiro próprio para o forno, coloque a pasta do salmão previamente marinada, tempere com sal, pimenta de moer, mostarda de moer e leve ao forno, aproximadamente durante 35 minutos (ou até o salmão estar bem cozido).


Enquanto espera prepare o grão, lave bem o grão e deixe a escorrer para retirar o excesso de água. Numa wok, coloque os alhos picados com um fio de azeite e deixe saltear durante um minuto, adicione as colheres de caril e deixe que as especiarias larguem um pouco do seu aroma (cuidado não deixar torrar), coloquem o grão e sem parar de mexer salteiem para que este absorva bem o pó de caril. Caso sinta que está demasiado seco, deite uma ou duas colheres de sopa de água, para não agarrar.

Sirva com uns gomos de limão.